Postagens

Mostrando postagens de maio 29, 2017

Prefeito reúne colegiado para reunião emergencial

Imagem
Colegiado se mobiliza para atender as eventualidades que possam ocorrer em função das previsões de mais chuva nas próximas horas. Na manhã desta segunda-feira (29), o prefeito Antonio Ceron convocou o colegiado para uma reunião emergencial, para deixar todos em sintonia diante dos problemas relacionados à chuva. O executivo de Defesa Civil de Lages, Jean Felipe Silva de Souza fez um amplo relato da atual situação e pediu para que cada Secretário ou Executivo também se posicione ainda nesta segunda-feira, sobre o que foi afetado em suas áreas. A questão está sendo tratada com enorme atenção pela Prefeitura, principalmente porque os sistemas de alerta não tem boas previsões para as próximas horas. Há previsão de muita chuva para a terça e quarta-feira. Conforme o Executivo da Defesa Civil, a maior preocupação é com possíveis deslizamentos e alagamentos, uma vez que o rio Carahá segue subindo de 3 a 5 cm por hora. Em Painel choveu nas últimas 24 horas mais de 55 mm, e a água

Defesa Civil de Lages aciona abrigo para alojar atingidos pela chuva

Imagem
Chuva não dá trégua. A Defesa Civil mantém o alerta máximo em Lages A chuva que continua caindo segue preocupando a comunidade lageana. Nas últimas 72 horas, a precipitação chegou a 128 mm. Com a chuva desta madrugada, ficaram desalojadas 34 pessoas. Destas, 16, foram encaminhadas a um abrigo organizado junto à Associação de Moradores do bairro Habitação.  É justamente neste bairro, mais propriamente na Rua das Bracatingas, que a água já invadiu inúmeras casas. O problema é que o rio Carahá segue subindo em média de 3 a 5 cm por hora, e nesta segunda-feira (29),o registro é de que o leito está 4.8 metros acima do nível. O alerta máximo é dirigido, especialmente às pessoas que residem em áreas de risco, para que estejam atentas. A preocupação é de que há previsão de muita chuva até quarta-feira (31), e o rio Carahá vai continuar subindo independente de chover mais ou não, em razão do represamento das águas. Em resumo, são 16 pessoas alojadas no abrigo da Habitação, e 34 des