Gaby produções e prefeitura apresentam dados para imprensa

A Comissão Central Organizadora (CCO) da 26ª Festa Nacional do Pinhão e representantes da empresa vencedora da licitação para a parceria público-privada, a Gaby Produções, reuniram a imprensa para falar sobre os resultados obtidos. O encontro ocorreu no auditório da Fundação Cultural de Lages (FCL). O prefeito Elizeu Mattos destacou que, mesmo sendo a primeira experiência, os resultados são positivos.

Em relação ao investimento do poder público em melhoramentos nos serviços e, especialmente, na contratação de atrações locais, Elizeu disse que foram em torno de R$ 339 mil. “O grande lucro foi ver a cidade cheia e o lageano no parque de exposições Conta Dinheiro”, define. O presidente da CCO e vice-prefeito Toni Duarte avalia positivamente o evento dentro daquilo que foi proposto.
Segundo ele, a qualidade da festa se manteve com a parceria e os avanços conquistados em 2013, como ingressos mais baratos para o lageano e o pilchado, a participação dos Centros de Tradição Gaúcha (CTGs) e atenção ao artista local se mantiveram. 
Há pontos que precisam ser aprimorados e isso já está no planejamento para o próximo ano.
 “A Festa do Pinhão é da cidade, fortalece economicamente Lages. Temos que torná-la ainda mais atraente”, enfatiza Toni.
O diretor-presidente da Gaby, Beto Ody, se diz satisfeito com a parceria público-privada. Segundo ele, a programação para 2015 já está sendo definida e pensa-se num show internacional. 
Outra informação é de que os ingressos para a 27ª Festa Nacional do Pinhão começarão a ser vendidos ainda este ano. “É uma maneira de retribuirmos o carinho do povo lageano e permitir que todos possam programar a compra de ingressos, com tranquilidade”, informa. “Tenham a certeza de que o evento do ano que vem será maior ainda e solidificará ainda mais essa parceria”, destaca.
Alguns pontos positivos destacados na coletiva. Atrações regionais
- Foram apresentados 130 shows de artistas locais na Arena Cultural, Recanto do Pinhão, Palco Nativista, Palco Pinhão, Pinhão Blues e houve a Cavalgada do Pinhão
- Participação dos CTGs no Pavilhão Recanto da Tradição com apresentações artístico-culturais e oferecimento de gastronomia típica
- Três pontos de comercialização de artesanato lageano
Sapecadas da Canção Nativa e da Serra Catarinense
- Aumento na ajuda de custo para os artistas
- Mais de 700 inscrições de toda a América do Sul
- Grande cobertura de veículos de comunicação de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul
No parque Conta Dinheiro
- Serviço de limpeza
- Pronto-atendimento com UTI móvel
- Serviço de segurança pública
- Melhorias no parque Conta Dinheiro com a instalação de rede de hidrantes
- Shopinhão ocupando os dois pavilhões do parque com a maioria dos expositores locais
Atividades paralelas
- Festival de música Pinhão Blues com atrações internacionais
- Cavalgada do Pinhão que reuniu mais de 500 cavaleiros
- Campeonato Sul-Brasileiro Escolar de Xadrez
- II Seminário Sul-Brasileiro sobre a Sustentabilidade da Araucária
- Copa Serra-Litoral de Motocross
Incremento econômico na cidade (dados levantados pela Secretaria de Turismo, pelo jornal Diário Catarinense)
- A festa representou uma movimentação econômica de R$ 13 mi na região serrana
- Hospedagem alternativa: cinco mil diárias, média de valor de R$ 90,00, o que representou ganho de R$ 450 mil para as pessoas cadastradas no programa de hospedagem
- A festa proporcionou a lotação máxima na rede hoteleira de Lages e São Joaquim. Foram mais de seis mil leitos ocupados na Serra com valor médio de R$ 200,00 em Lages e R$ 100,00 em outras cidades
- No setor de serviços em áreas como hospedagem, gastronomia e comercialização de souvenirs o faturamento foi de R$ 13 milhões. Já o comércio, com cerca de dois mil estabelecimentos, previa aumento de 8% nas vendas, especialmente dos artigos de inverno, em relação à Festa do Pinhão do ano passado.

Comentários