Homem se indigna com a demora de atendimento no Pronto Socorro e quebra tudo

Foi na noite deste Domingo (17), um fato inusitado ou fora do normal, aconteceu no Pronto Atendimento Tito Bianchinni (Pronto Socorro).

 A guarnição dos soldados Rezende e Abreu, da Polícia Militar, foi acionada para acalmar um senhor de aparentemente 30 anos, que estava um pouco alterado dentro da sala de espera do Pronto Atendimento. 

Segundo relatos do segurança do estabelecimento, o rapaz estava esperando atendimento para sua mãe, o qual viu que estava demorando, e acabou quebrando a porta do Pronto Socorro, por indignação. 

O mesmo imediatamente foi contido pelos seguranças até a chegada da Polícia Militar. Ninguém ficou ferido. 

De acordo com a secretária da unidade, o atendimento para a mãe do homem alterado estava dentro do normal. Em seguida ela foi atendida. 

Comentários

Anônimo disse…
Atendimento para sua Mão ???
Anônimo disse…
Isso mesmo!!! Tem que quebrar tudo, pois ficam so dormindo...quando não estão se agarrando lá dentro.....
Anônimo disse…
temos que ter muita calma nesse hora nóia ainda estamos no lucro e as outras cidades como são paulo e as demais é muito pior a saúde ....
Anônimo disse…
Em primeiro lugar melhorar o atendimento do Pronto Socorro, não é a primeira vez e não será a última que isso acontece, me parece um descompromisso com a função ou o lugar não possui um gestor capacitado ou ele deve estar nas passeatas da turma pela cidade. Vergonha total não prestar um atendimento correto ou demorar para atender pessoas idosas, venham para Florianópolis veras os centros de atendimento 24 horas que funcionam muito bem, parece que tudo que é feito em Lages deve funcionar mal, será que é essa a nossa índole, de tudo dar errado, vamos criar um compromisso com a população e não só buscar votos, o seu Elizeu tem um papel preponderante nisso, não só encher de comissionados e reclamar que não tem dinheiro. Vamos fazer funcionar isso.
Anônimo disse…
e se fosse sua mãe? no outros é sempre refresco ;)
Anônimo disse…
sabe pq hoje estão assim (...cidades como são paulo e as demais...)?
Porque sempre acharam que o que lhes davam era suficiente, nunca quiseram reclamar de nada e tinham ...muita calma nesse hora... .