Polícia Ambiental fiscaliza queima descontrolada em toda a região

Passado o período de chuvas iniciam na região a pratica de queima de campo para renovação da pastagem. Mesmo sendo bastante comum, a queima precisa ser autorizada por órgãos reguladores. 
A Polícia Ambiental com o auxílio do helicóptero Águia 4 da Polícia Militar deve intensificar as fiscalizações em toda a região serrana do Estado
Neste domingo o helicóptero foi acionado para combater as chamas, no Aeroporto de Lages. A água retirada de um açude no bairro Guarujá, conseguiu conter o fogo para que não se espalhasse para os terrenos vizinhos. Só durante o domingo foram atendidas  quatro queimas de campo em várias localidades, três delas não possuíam licença. A Polícia Ambiental teve acesso a essas localidades com o auxílio do helicóptero Águia 4 e demarcou as áreas com o GPS. Nesta segunda-feira (3), os policias devem retornar até as localidades e notificar os proprietários.

Provocar incêndio na vegetação sem autorização da Fatma é crime ambiental, sujeito a pagamento de multa e detenção que pode chegar a quatro anos de prisão.
Para realizar a queima do campo é preciso de uma licença ambiental expedida pela Fatma, esta queimada precisa ainda ser supervisionada por um engenheiro agrônomo ou florestal. No ano passado foram emitidas cerca de 250 licenças ambientais.
Empobrecimento do solo, poluição, destruição de redes de eletricidade e cercas, e acidentes rodoviários são alguns dos perigos ocasionados pelas queimas de campo. “Todos os anos estes e outros reflexos das queimadas trazem preocupação à Polícia Ambiental”, explica o capitão da 6ª CIA de Polícia Ambiental de Lages, Frederick Rambush.

Comentários