Lages adota estratégias para evitar novos casos de gripe H1N1

Lages está mobilizada para a prevenção e combate de novos casos de gripe H1N1. Na tarde desta terça-feira (5), o prefeito Elizeu Mattos e a secretária de Saúde, Rose Possato, receberam a imprensa para falar sobre o tema. Conforme boletim epidemiológico, de 1º de janeiro a 31 de março deste ano foram confirmados 68 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Santa Catarina (SRAG). Destes, 22 (32,3%) foram confirmados para Influenza, sendo todos pelo vírus Influenza A (H1N1).
Outros 46 casos (67,6%) apresentaram resultado negativo para Influenza A e B, sendo classificados como Síndrome Respiratória não especificada. Os 22 casos confirmados de SRAG pelo vírus Influenza A (H1N1) acometeram residentes nos municípios de Blumenau (10), Itajaí (4), Florianópolis (3), São José (2), Guaramirim (1), Tubarão (1) e Brusque (1). Em relação à idade, o maior número de casos da gripe confirmados por Influenza está na faixa etária de 40 a 49 anos, com oito casos (36,3%).
Perfil epidemiológico em Lages
Dos oito casos suspeitos surgidos na Serra, cinco foram em Lages, sendo três mulheres (duas com 36 e uma com 31 anos), e dois homens (79 e 59 anos); uma mulher com 19 anos em Correia Pinto, um homem com 85 anos em Ponte Alta, e uma mulher com 22 anos em Urubici. Dos casos lageanos, três resultaram em positivo, um negativo e um sob análise de amostra junto ao Lacen, em Florianópolis. Lages teve um caso com óbito, o do homem de 59 anos, que apresentava a comorbidade de câncer e pneumonia.
Ele foi atendido no pronto-atendimento na quinta-feira Santa e faleceu no sábado, dia 2, em internamento hospitalar, transferido no domingo de Páscoa. Os outros dois casos positivos também possuem comorbidades: um com doença cardiovascular e o outro, uma gestante com obesidade. Em um dos casos houve cura e alta hospitalar e outro permanece sob monitoramento.
Conforme dados da Secretaria de Saúde, todos os pacientes foram internados no Hospital Tereza Ramos, referência no tratamento. “Não é preciso haver ou se criar um estado de pânico. Estamos bem organizados e fortalecidos para enfrentar esse problema e proporcionar boas condições de prevenção e atenção nos casos suspeitos”, pontua o prefeito Elizeu.
 

Ações emergenciais para ampliação dos cuidados
A Secretaria de Saúde adotou providências que já estão em fase de implantação no município. Foi montada uma sala extra para vacinação na Policlínica Municipal e uma sala extra no Centro de Estudo e Assistência à Saúde da Mulher (Ceasm), além de ter sido ampliado o horário de atendimento da Vigilância Epidemiológica (ao lado do pronto-atendimento), das 8h às 12h e das 13h às 19h; da Policlínica, entre 8h e 12h e das 13h às 18h.
Nas 23 salas de vacina nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) o horário continua o mesmo: das 8h às 12h e das 13h às 17h. Dois veículos estarão à disposição para toda logística de encaminhamento das amostras ao Lacen, em Florianópolis. Os resultados on-line ficam prontos dentro de quatro dias, em média.
Como funcionará o pronto-atendimento
O pronto-atendimento Tito Bianchini sofrerá alteração a partir de segunda-feira (11). Haverá uma ala exclusiva para pacientes sintomáticos, sem acompanhante, e equipe exclusiva e capacitada para identificação das Síndromes Gripais. O objetivo é a detecção e tratamento precoce.

Será elaborado material para todas as equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF) da qual fazem parte médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos e Agentes Comunitários de Saúde (ACSs). Está prevista capacitação dos professores da rede de ensino para Educação em Saúde de alunos e pais, apoio da Defesa Civil para Educação em Saúde, orientação em sala de espera nas Unidades de Saúde, Centros de Referência de Assistência Social (CRASs), Balcão Cidadão e Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, onde há grande concentração diária de público.
Novidade para o acompanhamento do paciente
A Secretaria de Saúde elaborou um documento de Referência e Contra-Referência para acompanhamento dos pacientes, com boletins de atendimento sobre Síndrome Gripal e a SRAG, em que são apontadas as condições de risco, com avaliação no primeiro atendimento, conduta e retorno. Os pacientes que estiverem em acompanhamento deverão realizar seu retorno em até 48 horas na Unidade de Saúde, das 8h às 10h. Em caso de agravamento nesse período deverão procurar o pronto-atendimento.
No período entre 1h e 22h, o pronto-atendimento contará com mais uma equipe de apoio para corresponder a eventual demanda. O medicamento Tamiflu, indicado para tratamento e profilaxia de gripe em adultos e crianças com idade superior a 1 ano, estará disponível, mediante verificação de sintomas e sinais clínicos, inclusive a associação a doenças crônicas, com prescrição médica, na Farmácia Básica, o que já ocorre nas UBSs, no pronto-atendimento e na Vigilância. Em casos confirmados, a família do paciente receberá a profilaxia (aplicação de meios tendentes a evitar a propagação de doenças) dentro das primeiras 48 horas.
Meta é vacinar 80% de um total de 84.454 mil pessoas em Lages
A campanha de vacinação será antecipada para iniciar no dia 25 de abril e seguirá até 20 de maio, para os grupos prioritários em uma semana, sendo o Dia D em 30 de abril (nas Unidades de Saúde e na Vigilância Epidemiológica das 8h às 17h, ininterruptamente). O foco são gestantes, idosos, doentes crônicos, crianças menores de 6 meses a 5 anos, puérperas, trabalhadores da saúde, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.
A vacina para o público-alvo estará disponível nas UBSs e na Vigilância Epidemiológica. Há clínicas particulares que também oferecem a imunização. “Pedimos que as pessoas procurem a Unidade do seu bairro na primeira semana, para que não se deixe para a última hora, evitando tumultos”, orienta a secretária Rose Possato. O objetivo é a imunização de até 80% do público-alvo, de um total de 84.454 mil pessoas.
Atenção para os sinais
A secretária Rose Possato reforçou o pedido de apoio à imprensa para a disseminação da conscientização sobre a etiqueta da tosse, evitando ainda aglomerações e os riscos da doença, bem como manter-se atento aos sinais e sintomas de alerta: febre súbita mais tosse ou odinofagia e mais pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaléia, mialgia e artralgia.
Etiqueta
Para se conviver bem em sociedade e com segurança em saúde é fundamental manter alguns hábitos cotidianos buscando a prevenção da gripe H1N1: lavar bem as mãos constantemente várias vezes ao dia; evitar levar as mãos à boca e aos olhos; usar lenço descartável; desinfectar bancadas com álcool número 70 e tossir sobre o antebraço, evitando proliferações.

Comentários

Anônimo disse…
Eu trabalho, pago impostos e contribuo pra sociedade, tenho que pagar pela vacina. Já um criminoso que está atrás das grades recebe a vacina de graça; em que mundo vivemos?