Pular para o conteúdo principal

Mulher morre após pedalinho virar no Sesc pousada rural em Lages

Uma mulher de 54 anos morreu na manhã deste domingo (24) após um pedalinho virar em uma pousada em Lages, na Serra catarinense, segundo a Polícia Militar. Ela era natural de São Paulo, complementaram os políciais.
Conforme a Polícia Militar, o caso foi registrado às 11h30 em uma região rural da cidade,  Rincão Comprido, nos Distrito de Índios. O helicóptero Águia, da PM, também foi acionado para atender o acidente.

Segundo a Pousada Rural do Sesc de Lages, a mulher ficou com a roupa presa ao pedalinho, o que dificultou o resgate para tentar salvá-la. Ainda conforme a pousada, em nota, ela estava com colete salva-vidas.
“Lamentamos profundamente a fatalidade ocorrida no Sesc Pousada Rural em Lages na manhã deste domingo (24/07). No momento do acidente, prestamos todos os socorros na tentativa de resgatar a hóspede. Nossos colaboradores participaram do resgate e imediatamente os bombeiros e o helicóptero da Polícia Militar foram acionados. Estamos prestando toda a assistência à família e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para auxiliar neste momento de pesar”, informa a nota da assessoria de imprensa do Sesc em Santa Catarina.
Ainda conforme o documento, ao utilizar os pedalinhos, os visitantes usam coletes e são orientados por um profissional.

Informações: G1/SC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA DO PREFEITO ANTÔNIO CERON

  ANTONIO CERON ,  por meio de sua defesa vem apresentar  NOTA à Imprensa  para prestar os seguintes esclarecimentos quanto à Denúncia que foi movida pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina . Cabe registrar ,  desde logo ,  que o senhor Antônio Ceron, Prefeito do  distinto  Município de Lages, conta com quase 4 décadas de vida pública, tendo exercido  4 mandatos parlamentares (deputado estadual), ocupado cargos no Executivo Estadual e 2 vezes alçado por voto popular à chefia do Executivo Municipal de Lages. Em todo esse período nunca respondeu ação penal alguma, nunca teve suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado.  Em outras palavras,  sua postura e atuação pública sempre foi conduzida de modo transparente e ilibado . É de extrema relevância apontar que os contratos objetos das investigações judiciai s continuam vigentes (com o aval do próprio MPSC), foram e continuam sendo auditados pelos órgãos de fiscalização ( Câmara Municipal de Lages,  TCE/SC e MPSC),

PROGRAMAÇÃO DO RECANTO DO PINHÃO

  No dia 1º de junho, quinta-feira, a partir das 19h30, no calçadão da Praça João Costa acontecerá a abertura oficial da 33ª Festa Nacional do Pinhão. A atração musical da noite será com o grupo Os 4 Gaudérios.  Veja a programação do Recanto do Pinhão Aracy Paim 2023: Dia 1º, quinta-feira:  18h – Douglas Moraes 19h – Abertura Oficial Festa Nacional do Pinhão e Recanto do Pinhão 19h30 – OS 4 GAUDÉRIOS   Dia 2, sexta-feira: 11h – Guilherme Garcia 15h – Coral Vozes da Liberdade 16h – Alcione e Léo 17h – Boteco do Laurindo  Show 18h – Marina Gomes 19h30 – Léo Moraes e Grupo Gaúcho   Dia 3, sábado: 10h – Jornal do Almoço – NSC TV 14h – Grupo Querência Militar 15h – Grupo Embalo Fandangueiro 16h – Edson Augusto 17h – Grupo Baitaço 18h – Banda Anjos de Plantão 19h30 – Grupo Modaço   Dia 4, domingo:        11h – Boteco Resenha 14h – Willian Oliver 15h – Rogério Blum 16h – Musical Raízes Sertaneja 17h – Luis Bastos 18h – Leandro Marx 19h30 – Grupo Tchê Loko   Dia 5, segunda-feira: 16h – Matheus

Polícia Civil recebe denúncia de estupro dentro de hospital em Lages

  A Delegacia Regional de Polícia de Lages, na  Serra Catarinense , recebeu uma denúncia sobre um estupro que teria sido cometido por um enfermeiro contra uma paciente internada no Hospital e Maternidade Tereza Ramos (HTMR). O caso ocorreu na madrugada desta quinta-feira (23), e a unidade de saúde registrou um boletim de ocorrência. À reportagem da  Rádio Clube de Lages , a mulher relatou que estava internada com uma doença pulmonar. Na noite do caso, o enfermeiro teria agido de forma invasiva durante o atendimento e dado uma medicação diferente à paciente. “Ele perguntou sobre as minhas genitais, coisas que as enfermeiras nunca tinham perguntado para mim. Eu estava de camisola e ele me olhava muito. Não me senti bem e coloquei um calção por baixo da camisola. O último remédio que tomava para dormir, o Diazepam, que era de praxe todos os dias às 22h30min, eram elas que me davam. Nesse dia ele disse para mim, ‘vai ter outro remedinho’, e eu perguntei o porquê de outro medicamento. Ele r